Alunos do Ensino Médio participam de debate em celebração ao Dia da Consciência Negra

A valorização da cultura negra e a construção da identidade nacional influenciada pela cultura religiosa afro-brasileira foram os temas debatidos pelos alunos do Ensino Médio. No dia 1º de dezembro, os estudantes do Centro Educacional Sigma, da 910 Norte, participaram da roda de diálogo “Representação Imagética das Africanidades no Brasil”, com a fotógrafa e pesquisadora Denise Carvalho.

O evento foi organizado por quatro alunos do Ensino Médio, em conjunto com o professor de História Automagno Júnior. “Eles estavam incomodados pelo Dia da Consciência Negra ser tratado apenas dentro de sala de aula e não com um evento para celebrar o dia e tratar de temáticas relativas à negritude”, conta o professor. Os adolescentes, então, se uniram e mostraram a proposta para a direção, que os apoiou desde o início.

 

 

O diálogo foi aberto, para que os alunos pudessem se expressar, compartilhar experiências e dar opiniões pertinentes ao assunto. Denise conta que se identificou com os depoimentos dos alunos. Em um específico, uma das alunas relatou que, quando mais nova, não se identificava como negra e que só nos últimos anos começou a se reconhecer. “O depoimento foi bem forte, pois consegui me identificar nela. Quando era criança, eu não sabia que era negra. Só entendi o que eu era quando comecei a estudar sobre o assunto”, diz.

A pesquisadora elogiou a iniciativa da escola em promover o debate em celebração ao Dia da Consciência Negra e ressaltou que a matéria deve ser abordada todo o ano e com todos os alunos. “Não deve haver distinção de idade para se conversar sobre a diversidade étnica do nosso país”, completa.

 

 

A receptividade dos adolescentes surpreendeu Denise. O engajamento dos alunos chamou a atenção. “Eu me senti muito orgulhosa de ver o interesse deles. Eles estavam abertos a aprenderem, refletir e acolher as histórias e os depoimentos que foram compartilhados”.

O evento também contou com a presença de Ellen Cintra, integrante do Movimento Negro da Universidade de Brasília (UnB), que compartilhou experiências de vida e tratou do empoderamento da mulher negra, das negras da mídia e das negras doutoras.