Amor pelo ambiente escolar

Quando era aluna do Sigma, Natália Rocha, atual Diretora Pedagógica do colégio, sempre foi muito focada nos estudos e conta que a escola sempre foi referência de um ambiente acolhedor, já que, desde aquela época, a diretora já passava boa parte do tempo na instituição. Mestre em Química pela Universidade de Brasília (UnB), a gestora voltou para o Sigma há 21 anos, em 1998, para substituir uma professora em licença-maternidade. Natália aponta que, nesses 30 anos em que está ligada à escola, o Sigma manteve sua identidade, e trouxe alguns outros olhares necessários para as crianças e os jovens do século XXI. “Hoje, a escola traz um olhar mais focado na qualidade das relações e no sentimento de pertencimento, juntamente com a excelência acadêmica dos jovens”.

A diretora afirma que o Sigma formou quem ela é hoje, tanto no primeiro momento, como aluna, ajudando-a a escolher a profissão, a entrar em uma universidade, a saber se colocar no mundo, quanto neste segundo momento, como a profissional que se tornou. Além disso, a experiência dela como ex-aluna a ajuda a lidar com os estudantes. “A escola sempre nos ensinou a nos posicionar e lutar pelo o que acreditamos. Como eu já estive no mesmo lugar que eles, essa empatia facilita na hora de conversar”. Natália conta que é muito gratificante trabalhar com professores que deram aula para ela, “e poder ver minha filha se formar no Sigma e ter tido essa relação tão próxima com a instituição como eu tive é uma experiência fantástica”.

Para Natália, o segredo do sucesso é fazer o que gosta e traz motivação. “Eu realmente acho que a educação transforma o mundo; e quando você faz o que ama e luta pelo o que acredita, é possível fazer a diferença onde quer que você esteja”, comenta. Para ela, os benefícios de trabalhar com jovens na área de Educação é ter a sensação de permanecer jovem, estar antenada com os pensamentos dos adolescentes, além de estar sempre se reciclando dentro do ambiente acadêmico.