Vale a pena relembrar

O Sigma é uma escola que se preocupa em formar cidadãos. Para isso, desenvolve um trabalho educativo de excelência, que estimula a sensibilidade e a reflexão crítica de crianças e jovens, a fim de serem capazes de reconhecer a diversidade e de estabelecer uma convivência ética e responsável com o outro.

Para contribuir com a formação de alunos que participam ativamente do próprio aprendizado, a escola passou por algumas transformações, tais como formato das aulas, novos projetos pedagógicos, além de reformas na infraestrutura. Isso ocorreu porque o protagonismo é projeto construído de forma coletiva e deve atender a acordos preestabelecidos.

Na Educação Infantil, a escola investiu na formação continuada dos professores, para se manterem alinhados com os novos pensamentos sobre a aprendizagem da criança. Entre as questões estudadas, estiveram:  que sujeito se quer formar?; que potência é esta que existe em uma criança?; o que se entende por Educação Infantil?; qual é a importância que os espaços físicos de uma escola têm na formação infantil?

Com base nas discussões, o planejamento pedagógico trabalhou a arte, a estética e o espaço como propulsores do conhecimento e da formação das crianças. Para atender a essa diretriz, a estrutura física da unidade da 606 Norte, que oferece a Educação Infantil, foi remodelada, transformando-se em um espaço de atuação da criança como ser potente.

 

 

No Ensino Fundamental – Anos Iniciais (1º ao 5º ano), o projeto pedagógico priorizou a formação leitora. Diversos processos de incentivo à leitura foram desenvolvidos para alçar a capacidade leitora para um nível acima do conhecimento das crianças, como sessão simultânea de leitura e leitura compartilhada. No decorrer do ano, foi possível notar o resultado do trabalho nas crianças: aumento da frequência à biblioteca, melhoria do desempenho da escrita nas produções e crescimento do interesse pelos livros.

Como, para desenvolver um bom leitor, é preciso ter professores leitores, os docentes também participaram de cursos de qualificação voltados para a leitura e a escrita.

Já no Ensino Fundamental – Anos Finais (6º ao 9º ano), a escola investiu em projetos de valorização da formação moral e ética dos alunos. Assim, foi implantada a disciplina de Convivência Ética na escola, o que levou professores e corpo técnico a se debruçaram nos estudos da educação moral, no intuito de contribuir com a formação de ambiente saudável e que incentive o diálogo dentro da escola, colaborando para relações mais consistentes, empáticas e solidárias.

 

 

No Ensino Médio, o Sigma também promoveu mudanças, com o objetivo de aprimorar o processo ensino-aprendizagem: as avaliações do Ensino Médio foram realizadas no turno vespertino, o que gerou um ganho expressivo de aulas (72); foi instituído o Sigmais, um conjunto regular de exercícios que envolve sete disciplinas; a 3ª série ganhou uma aula a mais em um dia da semana; aumentou o número de aulas de Redação e de Arte; e os alunos passaram a ter oito simulados por ano na 3ª série – quatro no modelo PAS/UnB e quatro no modelo Enem, estes corrigidos com base na Teoria de Resposta ao Item [TRI], algoritmo escolhido pelo Inep para corrigir o Enem e dar a nota final da prova de múltipla escolha.

Ao longo do ano, o Sigma também manteve reforços extras ao aprendizado, como plantões e aulas de apoio. O plantão de dúvida é um instrumento que permite ao aluno aprofundar os estudos em determinados assuntos. Já as aulas de apoio se referem a uma prática de rever conteúdos nos quais os alunos não tiveram bom desempenho; é um suporte, para que não prossigam seus estudos sem dominar um conteúdo específico. Há, ainda, o curso preparatório, que atende aos alunos que têm necessidade de rever o conteúdo de forma sistematizada. “Todos podem ajudar a melhorar o desempenho. O que não se pode é achar que apenas ter mais aulas resolverá o problema, qualquer que seja. Ser aluno não significa ser estudante”, conclui o supervisor do Ensino Médio, Eli Guimarães.

O Ensino Médio contou, ainda, com eventos voltados para o mercado de trabalho, como Sigma + Futuro, Semana das Engenharias e o projeto Oficina de Música, que contribuiu para o desenvolvimento musical e a autoestima de nossos alunos.