Rotina é fundamental para manter ritmo nos estudos à distância

A pandemia do novo coronavírus apresentou à população uma situação atípica. Para tentar conter a disseminação do vírus (Covid-19), diversas medidas foram adotadas no Brasil e no mundo. Entre elas, no início de março, as escolas foram obrigadas a cessar suas aulas presenciais e milhões de estudantes foram orientados a permanecer em casa. O isolamento social impôs uma forma totalmente nova de vivência e uma quebra brusca na rotina.

De início, a ruptura dos hábitos pode ser vista pelos estudantes como uma situação de férias, o que pode prejudicar na organização para a realização das tarefas. Telma Holanda, mãe de Vitor Omena, aluno da 3ª série do Ensino Médio, da unidade da 912 Sul, conta que busca sempre seguir uma rotina semanal para que o filho não perca o ritmo. “A meta é concluir as demandas do dia de forma a não acumular o conteúdo”, comenta. “Além disso, procuro deixar um ambiente tranquilo, arejado e iluminado para que ele se concentre nos estudos”, ressalta.

Segundo William Pinheiro, diretor da unidade de Águas Claras, a quarentena e o trabalho em home office dos pais pode se tornar o momento ideal para engajar ainda mais a família no ambiente escolar, ​apesar de entender, também, a dificuldade das famílias nesse cenário de conjugar trabalho e acompanhamento dos filhos. “Esse gesto faz toda a diferença. A participação dos pais ajuda a motivar os alunos e assim é possível que toda proposta de trabalho à distância seja bem sucedida”, aponta.

As videoaulas têm sido as maiores aliadas dos estudantes neste período. No Sigma, os alunos têm recebido as aulas e exercícios por meio do Plurall, plataforma que auxilia os professores a repassar um conteúdo mais explicativo aos estudantes, apoiando os jovens nos deveres de casa.

Além das aulas, a tecnologia também pode ser usada a favor da aprendizagem. Alguns recursos podem ser utilizados, por exemplo, para realizar ligações por chamada de vídeo para a criação de grupos de estudo e de tirar dúvidas. “Muitos alunos já estão realizando esse movimento e se reunindo de forma remota para a troca de conhecimentos”, finaliza William.